Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO
 
Autora: Oliveira, Adriana da Silva Santos de
Título: Estudo da Composição Química e Avaliação da Atividade Antiproliferativa in vitro de Aldama arenaria Backer (sin: Viguiera arenaria).
Ano: 2013
Orientador: Prof. Dr. Paulo Mitsuo Imamura
Co-orientadora: Dra. Vera Lúcia Gracia Rehder
Departamento: Química Orgânica
Palavras-chave: Aldama arenaria, Atividade antiproliferativa, Óleo essencial, Viguiera arenaria.
Resumo: O câncer é uma das doencas que mais aflige a humanidade, principalmente pelo alto índice de mortalidade. Dados da OMS estimam 13,1 milhões de mortes em 2030. Aldama arenaria Baker, Asteraceae, é uma erva cespitosa a subarbusto, que mede 0,8 a 3 m de altura. Várias atividades farmacológicas foram atribuídas a esta espécie ou a compostos isolados desta, como por exemplo, ação vaso-relaxante, tripanossomicida, antimicrobiana e esquistossomicida. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antiproliferativa in vitro de óleos essenciais (OEfs) obtidos de diferentes órgãos vegetativos de A. arenaria em diferentes fases fenológicas, além do extrato clorofórmico das raízes (EC), frações e compostos isolados. As linhagens celulares tumorais utilizadas nos experimentos foram: K-562 (leucemia), MCF-7 (mama), NCI/ADR-RES (ovário com fenótipo de resistência a múltiplos fármacos), UACC-62 (melanoma), NCI-H460 (pulmão), PC-3 (próstata), HT29 (cólon), OVCAR-3 (ovário), U251 (glioma) e 786-0 (rim). Na fase de dormência o EC das raízes e OE dos xilopódios foram mais ativos frente às linhagens de melanoma, ovário resistente, pulmão, próstata e cólon. Já na fase de floração o OE dos caules foi mais ativo para as linhagens de glioma, mama, ovário resistente, rim, pulmão e próstata. O fracionamento químico dos OELs e EC revelou que as frações ricas em monoterpenos foram inativas enquanto as frações enriquecidas em sesqui e diterpenos apresentaram atividades moderada e potente. Nas frações mais ativas do EC (Fr 3 e 4) os compostos majoritários identificados foram dois derivados de pimarano: o ácido ent-pimara-8(14),15-dien-19-óico (1) e ent-8(14),15-pimaradien-3b-ol (3). Nas frações mais ativas dos OELs (Fr 3 e 4 ; R3, R5, R6, X5, F5, F6 E F7) foram os compostos: carotol, palustrol, espatulenol, pimaral e diterpeno (3). Os compostos 1 e 3, isolados e testados, apresentaram atividade fraca e moderada, respectivamente, demonstrando possível sinergismo com outros compostos. Os resultados demonstraram que 56% das 50 amostras avaliadas possuíam potencial atividade antiproliferativa in vitro e perfil concentração-dependente para a maioria das linhagens avaliadas. Dentre estas, 34% apresentaram atividade moderada e 22% potente para pelo menos uma linhagem, com valores de TGI (Total Growth Inhibition) menores do que 15 mg.mL-1. Estes resultados indicam que Aldama arenaria apresenta potencial atividade antiproliferativa in vitro e estudos posteriores de atividade anticâncer in vivo poderão comprovar sua ação antitumoral.
Abstract: Cancer is a disease that afflicts people all over the world with a high mortality rate and World Health Organization (WHO) estimates that by 2030 cancer will be responsible for 13.1 million deaths. Aldama arenaria Baker (Asteraceae) is a medicinal plant that is known to contain several compounds with pharmacological properties including vasorelaxant, trypanocidal, antimicrobial and schistosomicidal activities. The aim of this study was to evaluate in vitro antiproliferative activity of the essential oils (EO's) obtained from vegetative organs of A. arenaria in differents phenological phases, chloroform extract (CE), fractions and isolated compounds. The tumor cell lines used in these experiments were: leukemia (K-562), breast cancer (MCF-7), multidrug resistant ovarian cancer (NCI/ADR-RES), melanoma (UACC-62), lung (NCI-H460), prostrate (PC-3), colon (HT29), ovarian (OVCAR-3), glioma (U251) and kidney (786-0). In dormant phase, CE (roots) and EO (xylopodium) were more actives against the strains of melanoma, resistant ovarian, lung, prostate and colon. At flowering, the stem EO was more active to the strains of glioma, breast, resistant ovary, kidney, lung and prostate cancer. The chemical fractionation of EO's and CE revealed that fractions rich in monoterpenes were inactive, while the fractions enriched in sesqui and diterpenes showed moderate and potent activities. In the most active fractions of EC (Fr 3 and 4), two major pimarane derivatives compounds were identified as: ent-pimara-8(14),15-dien-19-oic acid (1) and ent-8(14)15 pimaradien-3b-ol (3). From the the most active fractions of EO's (Fr 3 and 4; R3, R5, R6, X5, F5, F6 and F7) the following compounds were identified: carotol, palustrol, spathulenol, pimaral and diterpene 3. The compounds 1 and 3, isolated and tested, presented weak and moderate activity, respectively, suggesting a possible synergism with other compounds. These results showed that from 50 evaluated samples, 56% had potential in vitro antiproliferative activity and concentration-dependent for most strains evaluated. Among these, 34% had moderate activities and 22% had potent activities, with TGI (Total Growth Inhibition) values lower than 15 mg.mL-1 in at least one of the cancer cell lines. This study indicate that Aldama arenaria has, in vitro, a good antiproliferative activity and further evaluations of the in vivo anticancer activities are needed in order to validate this antitumor potential.
Arquivo (Texto Completo): 000931875.pdf ( tamanho: 7,83MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
2012-2014 BIQ