Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO
 
Autor: Ishikawa, Mauricio Haruo
Título: Estudo da Fração Ácida do Querosene de Aviação (QAV) e Síntese de Padrões Sesquiterpênicos e Ácidos Carboxílicos para Análise em CG-EM
Ano: 1990
Orientadora: Profa. Dra. Luzia Koike
Departamento: Química Orgânica
Palavras-chave: --
Resumo: Muito pouca atenção tem sido dada a composição da fração ácida do petróleo brasileiro. Por outro lado, durante o decorrer de nossos estudos sobre acidez naftênica do petróleo Cabiúnas, observamos a ocorrência de uma considerável concentração destes ácidos, classificando o petróleo Cabiúnas como de alta acidez. Estes fatos motivaram nosso grupo de pesquisa a iniciar estudos sobre uma fração de destilação de interesse comercial. Nesta tese descreveremos os esforços por nós empreendidos na identificação da fração ácida do querosene de aviação provenientes deste petróleo nacional, através de análise por CG/EM. Os constituintes foram identificados por comparação com espectros de massa da biblioteca NBS-Revel 38791 MS e também utilizando alguns padrões. Foram sugeridas algumas estruturas para aqueles constituintes cujos espectros de massa diferiram do banco de dados e dos padrões sintéticos, baseados nos seus padrões de fragmentação. Adicionalmente, numa segunda parte deste trabalho sintetizamos o sesquiterpeno, 4,7-dimetil-1-isopropil-1,2,3,4-tetraidronaftaleno 43 e tentamos sintetizar o 2,5-dimetil-8-isopropil-1,2,3,4-tetraidronaftaleno 44, que poderão ser usados num futuro próximo como padrões para derivados hidrocarbonetos da fração ácida do querosene. Os intermediários ácidos, g-(5-isopropil-2-metil) fenilbutírico 35 e g-p-toluilvalérico 36, obtidos das rotas sintéticas dos sesquiterpenos acima, foram metilados e coinjetados com a fração de ácidos fortes derivatizada em seus ésteres metílicos. Embora a presença destes ácidos não tenham sido confirmadas nesta fração, suas fragmentações padrão e o íon m/e 119 característico, foram importantes diagnósticos para sugerirmos que os ácidos metilados possuem esqueleto básico semelhantes aos destes ácidos na fração estudada (Qav). Querosene de Aviação Cabiúnas e Basha (considerado de baixa acidez) foram comparados, revelando que diferem em seus teores ácidos e perfis cromatográficos, consequentemente na sua composição.
Abstract: Little attention has been devoted to the composition of the acidic fractions of the Brazilian petroleum. On the other hand, during the course of our previous studies, we observed the occurence of a considerable concentration of naphthenic acids in Cabiunas crude oil. The above facts have motivated our group to start a research line on the study of the acidic fractions of distillation products which were of commercial interest. In this thesis we describe our efforts in identifying acidic fraction from Cabiunas aviation kerosine, using GC/MS analyses. The constituents were identified by comparison of their mass spectra with those in a data system library (NBS-Revel, 38791 MS) and by comparison of retention time and mass spectra with those of pure standards. Structural suggestions for some constituents that showed different mass spectra from those in the data library system and synthetic specimens were mainly based on their fragmentation patterns. Additionally, in the second part of this work we have synthesized the sesquiterpene 4,7-dimethyl-8-isopropyl-1,2,3,4-tetrahydronaphthalene 43 and we have tried to synthesize 2,5-dimethyl-8-isopropyl-1,2,3,4-tetrahydronaphthalene 44, which will be used in the near future as standards for the hydrocarbon derivatives from the acidic fraction of kerosine from Braziliam petroleum. The acid intermediates g-(5-isopropyl-2-methyl)phenylbutyric acid 35 and g-p-tolylvaleric acid 36, obtained in the above synthetic routes were methylated and coinjected with the derivatized acidic fraction. Although their fragmentation patterns were not detected, the ion at m/e 119 was of diagnostic importance to suggest that compounds possessing a similar basic skeleton were present in the studied petroleum fraction (Qav). Cabiunas and Basha (with less acidic components) Qav were compared, revealing that they differ in their acidic contents and chromatographic profile, consequently possessing differents compositions.
Arquivo (Texto Completo): vtls000036015.pdf ( tamanho: 4,92MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
2012-2014 BIQ