Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autora: Custodio, Angela Ramalho
Título: Estudo dos Íons Benzenossulfonato, Benzoato e Anilinío em Soluções Micelares através dos Tempos de Relaxação de C de Ressonância Magnética Nuclear
Ano: 1990
Orientador: Prof. Dr. Fred Yukio Fujiwara
Departamento: Físico-Química
Palavras-chave: --
Resumo: Os tempos de relaxação (T1) de RMN de C foram usados para caracterizar o comportamento de solutos iônicos em soluções micelares. Ao todo, foram analisados três benzenos monossubstituídos, os íons benzenossulfonato, benzoato e anilínio em soluções micelares formadas pelos tensoativos brometo de alquiltrimetilamônio (C10, C14 e C16), cloreto de decilamônio, decilsulfato de sódio, dodecanoato de potássio e algumas misturas destes tensoativos. O soluto foi introduzido na forma de um sal simples ou como contra-íon do tensoativo. O efeito do decanol também foi investigado nas soluções formadas com os tensoativos aniônicos decilsulfato de sódio e dodecanoato de potássio. A razão entre os tempos de relaxação de C dos carbonos orto, meta e do carbono para do soluto oferece uma medida da anisotropia de difusão rotacional do soluto. Para o íon benzenossulfonato em soluções micelares de tensoativos aniônicos, a razão T1/ T1 é grande, resultado de uma difusão rotacional altamente anisotrópica. Isto se deve a uma forte interação soluto-micela. Conclui-se que o íon benzenossulfonato nestas soluções está solubilizado com a parte aromática dentro da micela. Nas soluções micelares de tensoativos catiônicos, a razão T1/ T1 é comparável à razão na solução aquosa simples. Conclui-se que o íon benzenossulfonato nessas soluções está predominantemente na região aquosa da interface. O comportamento do íon benzoato é similar ao do íon benzenossulfonato. Todavia observa-se que a razão T1/ T1 depende da partição do soluto entre a região aquosa e a fase micelar em soluções micelares de tensoativos aniônicos. A anisotropia de difusão rotacional do íon anilínio em soluções micelares de decilsulfato de sódio é significantemente maior em comparação ao valor em solução aquosa indicando uma interação soluto-micela. Estes dados foram analisados juntos com os de graus de ordem, determinados em mesofases nemáticas, que descrevem a orientação parcial do soluto. Os dados de graus de ordem também indicam que o íon anilínio está incorporado na micela. Em soluções micelares de tensoativos catiônicos, os resultados indicam uma distribuição do íon anilínio entre a região aquosa e a fase micelar que é sensível à natureza da cabeça catônica do tensoativo.
Abstract: Carbon-13 spin-lattice relaxation times were used to characterize the behavior of ionic solutes in isotropic micellar solutions. Threee monosubstituted benzene were analyzed, benzenesulfonate, benzoate and anilinium ions, in micellar solutions prepared using the surfactants alkyltrimetylammonium bromide (C10, C14 and C16), decylammonium chloride, potassium dodecanoate, sodium decylsulfate and some mixtures of them surfactants. The solute was introduced as simple salts or as the counterion of the surfactant. The effect of decanol was investigated in solutions prepared using ionic surfactants sodium decylsulfate and potassium dodecanoate. The ratio of the C spin-lattice relaxation times of the ortho and meta carbons to that of the para carbon (T1/ T1) was used to characterize the anisotropy of the rotational diffusion of solute. The T1 data for the benzenesulfonate ion in micellar solutions of anionic surfactants indicate that the ratio is large because of a highly anisotropic rotational difusion due a strong solute-micelle interaction. It was concluded that the benzenesulfonate ion is solubilizated with the aromatic part in the micelle. In the cationic systems, the ratio T1/ T1 is comparable to that in non-micellar aqueous solutions. It was concluded that the benzenesulfonate ion is predominantly in the aqueous region of the micellar interface. The dynamic behavior of benzoate ion was similar to that observed for the benzenesulfonate ion. However, it was observed that the ratio T1/ T1 depend on partition of the solute between the aqueous region and micellar fase. In the micellar solutions using sodium decylsulfate surfactant, the anisotropy of the rotational difusion of the anilinium ion was greater than that in non-micellar aqueous solution indicating a solute-micelle interaction. These results were analysed together with the degree of order, determined in nematic mesophases, which describe the partial orientation of the solute. The data indicate that the anilinium ion is incorporated in micella. In the cationic micellar systems, the results indicate a distribution of anilinium ion between the aqueous region and micellar fase, which was sensitive to the nature of the surfactant headgroups.
Arquivo (Texto Completo): vtls000307767.pdf ( tamanho: 5,25MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
2012-2014 BIQ