Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autor: Eiras, Sebastião de Paula
Título: Determinação Catalítica de Molibdênio em Plantas, Usando Análise em Fluxo Contínuo Monossegmentado com Detecção Espectrofotométrica
Ano: 1991
Orientador: Prof. Dr. João Carlos de Andrade
Departamento: Química Analítica
Palavras-chave: -
Resumo: Foi desenvolvido um procedimento para a determinação espectrofotométrica de molibdênio em plantas usando a técnica de Análise em Fluxo Contínuo Monossegmentado e a oxidação catalítica de Ipor H2O2 em meio ácido. O sinal analítico, diferença entre a absorbância resultante da reação catalisada por Mo(VI) e a não catalisada, foi otimizado usando procedimentos multivariado e univariado. Em condições ótimas o sistema deve ser operado com os reagentes KI, H2SO4 e H2O2 em concentrações a 0,1528 M, 0,0665 M e 0,0041 M, respectivamente, com precisão de ± 0,0005 M. Estes reagentes foram bombeados com vazões de 1,2 ml min, enquanto que a vazão da amostra foi fixada em 4,7 ml min, o volume de amostragem em 300 ml, o tempo de reação em 130 s, a temperatura do sistema em (25 ± 2)°C e a frequência de injeção em 72 h . Nestas condições foram estudadas as interferências de Fe(III), Ti(IV), W(VI), Cr(VI), V(V), que também são catalisadores da reação, além de fosfato e da força iônica do meio. Observou-se que apenas Ti(IV) não interfere no sistema. Em vista disto, optou-se por separar previamente o Mo(VI) usando-se a-benzoinoxima e extração com clorofórmio. A curva de calibração obtida após submeter os padrões à extração é linear até 50 ng ml e é descrita pela equação: DA = 0,014 CMo + 0,007. Foi encontrado um limite de detecção de 1.0 ng ml e um desvio padrão relativo menor que 1,5% sobre toda a faixa de linearidade. A exatidão do método foi avaliada através de amostras de plantas fornecidas pelo "International Plant-analytical Exchange" (IPE) (Wageningen Agricultural University-The Netherlands). Por comparação direta, todos os resultados encontrados na determinação de Mo(VI) nestas matrizes foram aceitos pelo critério de rejeição empregado pelo IPE.
Abstract: A procedure has been developed for the spectrophotometric determination of molybdenum in plants using the Continuous Monosegmented Flow Analysis technique with catalytic oxidation of I by H2O2 in acid medium. The analytical signal, the difference between the absorbance resulting from the Mo(VI) catalyzed reaction and the non-catalyzed reaction, was optimized using multivariate and univariate procedures. Under optimum conditions, the system operates with the reagents KI, H2SO4 and H2O2 in concentrations of 0.1528 M, 0.0665 M and 0.0041 M, respectively, within a precision of 0.0005 M. These reagents were pumped at 1.2 ml min. The flow rate of the sample was fixed at 4.7 ml min, the sample volume at 300 ml, the reaction time at 130 s, the system temperature at ( 25±2 )°C and the injection frequency at 72 h . Under these conditions were studied the interferences of Fe(III), Ti(IV), W(VI), Cr(VI), V(V), which are also catalizers for this reaction, as well as phosphate and the ionic stregth. It was observed that only Ti(IV) does not interfere. It was thus decided to incorporate a prior separation of Mo(VI) from interferring species by means of reaction with a-benzoinoxime and extraction in to choroform. The calibration curve obtained after submitting the standards to the extraction procedure is linear to 50 ng ml and is described by the equation: DA = 0.007 + 0.014 CMo. The limit of detection found was 1.0 ng ml and the relative standard deviation was less than 1.5% over the entire linear range. The accuracy or the method was evaluated by means or plant samples supplied by the "International Plant-analytical Exchange" (IPE), from the Wageningen Agricultural University, The Netherlands. By direct comparison, all of the results obtained for the determiation of Mo(VI) in these samples were acceptable by the recommended IPE criteria.
Arquivo (Texto Completo): vtls000037318.pdf ( tamanho: 6,34MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ