Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autora: Lombardi, Ana Teresa
Título: Caracterização Fluorimétrica da Matéria Orgânica de Origem Natural e sua Complexação com Íons Cobre
Ano: 1995
Orientador: Prof. Dr. Wilson de Figueiredo Jardim
Departamento: Química Analítica
Palavras-chave: Fluorescência, Humus, Complexação
Resumo: Matéria orgânica dissolvida de origem marinha, extraída através de resinas SepPak tC18 e ácido fúlvico de solo que sofreu o mesmo procedimento de extração, foram fracionados através de cromatografia líquida de alta eficiência em fase reversa com detecção por sistema não destrutivo (absorção no ultravioleta, em 254 nm). Um procedimento metodológico, cuja base é a eluição em etapas foi desenvolvido para este fracionamento. A matéria orgânica foi separada em quatro ou cinco frações com polaridade distintas. Deste modo, a matéria orgânica natural foi desagregada e pode ser caracterizada mais detalhadamente. Cada fração eluida, bem como a matéria orgânica antes do fracionamento foram analisadas por espectroscopia de fluorescência. Foram feitos espectros de emissão, excitação convencional e excitação sincronizada. Todos os resultados são normalizados por unidade de carbono orgânico de modo a possibilitar comparações entre as diversas amostras. A emissão de fluorescência mostrou que a matéria orgânica terrestre fluoresce em média 5 vezes mais do que a marinha. O espectro de excitação sincronizada mostrou a especificidade de alguns fluoróforos: lex/lem (comprimento de onda de excitação/comprimento de onda de emissão) 566/584 nm (marinho), lex/lem 405/423 nm (terrestre), lex/lem 317/335 nm (terrestre), porém a maioria está presente em ambas as categorias de matéria orgânica. Experimentos de extinção de fluorescência mostraram que o procedimento utilizado para extração leva não só a uma perda de fluoróforos mas também a uma perda de ligantes que formam complexos estáveis com o cobre, originalmente presentes na matéria orgânica natural. Na titulação destes ligantes com íons Cu(II), após adaptação do modelo de Ryan e Weber (1982a) para uma situação de multiligantes, valores de K' (constante de estabilidade condicional, da formação do complexo) e CL (concentração de ligante) foram obtidos. Observou-se uma relação linear entre o limite mínimo de fluorescência e a concentração de ligante por unidade de carbono orgânico.
Abstract: Marine dissolved organic matter, which has been extracted by adsorption onto SepPak tC18 and, soil fulvic acid processed in the same way, were fractionated by reverse phase high performance liquid chromatography. Based on a stepwise elution gradient, a methodologic procedure was developed using the non-destructive UV-absorption (254 nm) detection system, to further investigate the chromatographic fractions. The organic materiais were fractionated into 4 or 5 chromatographic fractions of differing polarity. FIuorescence spectroscopy was used to investigate some optical properties of the organic materiais, before and after chromatographic fractionation. Conventional emission and excitation, and synchronous excitation spectra were recorded for each sample. For normalization, all results are presented as per unit organic carbon. Emission spectra showed that the soil fuIvic acid fluoresces about 5 times more than the marine sample, and that the extraction procedure results in a loss of some fluorophores classes. The synchronous excitation technique revealed the specificity of some fluorophores: lex/lem 566/584 nm (marine), lex/lem 405/423 nm (soil), lex/lem 317/335 nm (marine). Most of them are present in both organic materiais. FIuorescence quenching experiments showed that there is a loss of strong ligands as a result of the extraction procedure. An adaptation of the modeI described by Ryan and Weber (1982a) to a situation of mutiligands, showed that more than one binding site is less important to the soil fulvic acid than it is for the marine dissolved organic materials. A linear relation was obtained between the minimum fluorescence limit and total ligand concentration per unit organic carbon(CL/TOC).
Arquivo (Texto Completo): vtls000088411.pdf ( tamanho: 3,65MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ