Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autor: Garcia, Carlos Alexandre Borges
Título: Construção, Avaliação e Aplicação de Biossensor para Frutose Utilizando a Enzima D-Frutose Dehidrogenase
Ano: 1997
Orientador: Prof. Dr. Graciliano de Oliveira Neto
Coorientador: Prof. Dr. Lauro Tatsuo Kubota
Departamento: Química Analítica
Palavras-chave: Biossensor amperométrico, Eletroquímica, Sensor amperométrico
Resumo: Nos últimos anos vários sensores para mono e dissacarídeos têm sido construídos, porém, existem poucos trabalhos sobre sensores para frutose, apesar desta ser amplamente distribuída em frutas e vegetais e geralmente usada em produtos dietéticos. Com isso, objetivou-se construir, avaliar e aplicar um biossensor para frutose, utilizando a enzima d-frutose 5-dehidrogenase (E. C. 1.1.99.11), imobilizada em eletrodos de pasta de carbono e em filme de polipirrol, sem a necessidade de tratamento elaborado das amostras reais. Neste trabalho foram construídos três biossensores para frutose: o primeiro utilizando-se a técnica de imobilização por adsorção, preparando-se uma pasta contendo grafite, sílica gel, enzima e azul de Meldola como mediador de elétrons. O biossensor foi utilizado por aproximadamente 300 análises ou três semanas de uso diário. O segundo biossensor foi construído utilizando-se a técnica de imobilização enzimática por oclusão, imobilizando-se a enzima em filme de polipirrol, suportado em eletrodo de platina, contendo ferricianeto de sódio como mediador de elétrons. Com este biossensor realizou-se cerca de 100 análises, num período de uma semana de uso diário. O último, foi construído utilizando o método de imobilização com ligação covalente cruzada, sendo a enzima imobilizada em glutaraldeído depositado sobre filme de polipirrol, suportado em eletrodo de platina; este biossensor foi utilizado por aproximadamente 200 análises, ou duas semanas de uso diário. Os biossensores obtidos foram utilizados em análise de amostras reais, com erros relativos inferiores a 4%, quando comparados com o método padrão, e também realizados estudos das suas propriedades eletroquímicas e seus parâmetros como: pH, força iônica, interferentes, entre outros.
Abstract: During the last years many sensors, for mono and disacharides, have been built, however, there are few papers concerning fructose sensors, although it is widely distributed in fruits, vegetables and generally used in dietetic products. With this fact in mind, it was decided to construct, evaluate and apply a fructose biosensor using the d-fructose 5-dehydrogenase enzyme (E. C. 1.1.99.11), immobilized in paste carbon electrodes and in polypyrroIe film, without any pre-treatment of real samples. In this work, three biosensors for fructose were prepared: for the first one it was used the adsorption immobilization technique, preparing a past with graphite, silica gel, enzyme and Meldola's blue as electron mediator. The biosensor was used for, approximately 300 analyses, or three weeks daily used. For the second biosensor it was employed the occlusion enzymatic immobilization technique, being the enzyme immobilized in a poIypyrrole film, over a platinum electrode containing sodium ferricianyte as mediator. With this sensor, abaut 100 analyses were performed during a period of one week, daily used. The Iast biosensor was constructed using the crosslinked covalent bond method, being the enzyrne immobilized in glutaraldehyde rely upon a polypyrrole film over a platinum electrode. This biosensor was used for approximately 200 analyses or two weeks daily used. Also, the analytical parameters, such as pH, ionic strengh, interferences, of all sensors were studied as well. AlI the biosensors were utilized to perform analyses of real samples with relative errors below 4%, comparing to the standard method.
Arquivo (Texto Completo): vtls000115589.pdf ( tamanho: 6,77MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ