Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO
 
Autor: Corradini, Walmir Antonio
Título: Caracterização de Amostras Comerciais de Polipropileno e Estudo de seus Processos de Relaxação por Espectroscopia de Fluorescência
Ano: 1997
Orientadora: Profa. Dra. Teresa Dib Zambon Atvars
Departamento: Físico-Química
Palavras-chave: Polímero, Pireno, Antraceno
Resumo: Amostras de polipropileno comercial foram caracterizadas por difração de raios-X, DSC, Infravermelho (FT-IR), RMN e microscopia óptica, também foram obtidas as temperaturas de relaxação destas amostras por espectroscopia de fluorescência. As técnicas de caracterização comprovaram o alto grau de isotaticidade das duas diferentes amostras originais, bem como das amostras obtidas por cristalização à partir de solução. A transição da modificação cristalina a 2 para a modificação a1 pode ser verificada pela relação dos picos II e lII dos espectros de difração de Raio-X e pelas curvas de DSC na forma de picos duplos de fusão. As moléculas luminescentes são inseridas nas amostras de polipropileno, na forma de pó, através de sorção à partir de soluções de antraceno e pireno, para a obtenção dos espectros de fluorescência. A partir dos espectros de fluorescência determinou-se como a intensidade total ou a intensidade relativa das bandas do espectro se modificam com a temperatura, em função disto foram estudadas as relaxações do polipropileno - Rotação -CH3 - temperatura na qual os grupos metiIa começam a se movimentar - 25 a 35 K quando usadas as moléculas de antraceno e pireno. - Relaxação g - associada a movimentação de pequenos grupamentos da fase amorfa da cadeia polimérica - 146 a 165 K quando usadas as moléculas de pireno. - Relaxação b - associada com a movimentação de grupamentos maiores da fase amorfa do polímero - 235 a 255 K quando usadas as moléculas de antraceno e 195 a 215 K quando as de pireno. - Relaxação a - associada com a movimentação de grupamentos das fases amorfa e cristalina. - 345 a 365 K quando usadas as moléculas de antraceno e 305 a 315 K quando as de pireno.
Abstract: Samples of commercial polypropylene were been characterized by X-ray diffraction, DSC, Infrared ( FTIR ), NMR and optical microscopy. The temperature of relaxation were attain by fluorescence spectroscopy. The characterization techinics confirmed the high degree of isotacticity of all samples, original and crystallized after reflux. The X-ray diffraction and DSC curves showed the a 2 crystalline modification for the a1 crystalline modification. The luminescent molecules were introduced in powder polypropylene samples across sorption of anthracene and pyrene solutions for the attainment of fluorescence spectra. With this spectra, were determined the fluorescence intensity or fluorescence relative of the bands with the variation of the temperature and attained the temperature of relaxation for the polypropylene. Rotation CH3: temperature corresponding to the motion of this group - 25-35 K when were used anthracene and pyrene molecules. Relaxation g: associated with the motion of short groups presents in amrphous phase of polymeric chain - 145-165 K when were used pyrene molecules. Relaxation b: associated with the motion of long groups presents in amorphous phase of polimeric chain - 235-255 K when were used anthracene molecules and 195-215K when were used pyrene molecules. Relaxation a: associated with the motion of groups in the amorphous a crystalline phase - 345-365 K when were used anthracene molecules and 305-315 K when were used pyrene molecules. It was not possible to get melt point because instrumental limitation.
Arquivo (Texto Completo): vtls000126967.pdf ( tamanho: 3,96MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ