Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autora: Rocha, Sandra Maria
Título: Modificação do Poli(Metacrilato de Metila) com Poli(Epicloridrina-co-Óxido de Etileno): Cinética de Polimerização e Caracterização Estrutural por Análise Dinâmico-Mecânica, Ensaios Mecânicos e de Intumescimento
Ano: 1998
Orientadora: Profa. Dra.Maria Isabel Felisberti
Departamento: Físico-Química
Palavras-chave: Miscibilidade, Blendas, IPN, Polimerização
Resumo: A modificação do poli(metacrilato de metila) (PMMA) com poli(epicloridrina-co-óxido de etileno) [(P(EPI-co-EO)] foi realizada a partir da polimerização do metacrilato de metila (MMA) em presença do elastômero. Para tanto, misturas contendo 0, 10, 20, 30 e 40% do elastômero, peróxido de benzoíla, como iniciador, e dimetacrilato de etilenoglicol (DEGMA), como reticulante para o MMA, nas proporções de 0, 1, 3 e 5% em relação a massa de MMA foram polimerizadas à temperatura de 60°C por 96 horas. A miscibilidade das misturas foi avaliada por análise dinâmico-mecânica (DMA), sendo observado para todas as composições o alargamento da transição vítrea em consequência da formação de microregiões com diferentes composições e densidades de reticulação. Ensaios de intumescimento possibilitaram a caracterização da rede, fornecendo junto com os resultados de DMA informações sobre a heterogeneidade das misturas, de composição e de densidade de reticulação. Também forneceu evidências sobre a possível reação de enxertia do elastômero no PMMA e sua participação como co-reticulante. A cinética de formação das redes foi acompanhada por DSC, avaliando-se a entalpia de reação, a conversão e a energia de ativação, em experimentos conduzidos nos modos dinâmico e isotérmico. Este estudo mostrou que o elastômero não só participa da reação de polimerização do MMA, como também influencia de forma complexa a cinética de cura. Ensaios mecânicos de flexão utilizando microamostras mostraram que misturas de mesma composição, mas com densidade de reticulação e formação de rede diferentes, apresentaram comportamento variando de tenaz à rígido.
Abstract: The modification of poly(methyl methacrylate) (PMMA) with poly(epichlorohydrin-co-ethylene oxide) [(P(EPI-co-EO)] is conducted with the polymerization of the methyl methacrylate in the presence of the elastomer. With this purpose, mixtures containing 0, 10, 20, 30 and 40 wt% of the elastomer, benzoyl peroxide as the initiator, and ethylene glycol dimethacrylate (EGDMA), as the crosslinking agent for PMMA, in the proportions of 0, 1, 3 and 5 wt% in relation of the MMA weight are polymerized at 60°C for 96 h. The miscibility of the mixtures is evaluated by dynamical-mechanical analysis (DMA) and for all compositions a broadening of the glass transition is observed. This profile is attributed to the formation of microregions with distinct compositions and crosslinking densities. The network was characterized by swelling experiments and DMA, as well. Those methods yielded information on the heterogeneity of composition and crosslinking densities of the mixtures. They also provided evidences on a possible graft polymerization between the elastomer and the PMMA and the elastomer participation as a crosslinker. There are also evidences, that the graft copolymerization between the elastomer and PMMA take a place during the network formation and that the elastomer participate as co-crosslinker for the PMMA. The kinetics of the network was followed by DSC and the reaction enthalpy, the conversion, and the activation energy were evaluated. These experiments were carried out in the dynamical and isothermal modes. This study showed that the elastomer not only participates in the MMA polymerization forming a grafting copolymer but also influences in a complex way, the cure kinetics. Flexural tests using microsamples showed that mixtures of the same composition, but with distinct crosslinking densities and network formation showed a behavior varying from tough to rigid.
Arquivo (Texto Completo): vtls000188555.pdf ( tamanho: 1,90 MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ