Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autora: Silva, Rosely Barbosa
Título: Preparação de Fases Estacionárias para CLAE a partir de Poli(metiloctilsiloxano) sobre a Sílica Titanizada
Ano: 2001
Orientadora: Profa. Dra. Carol Hollingworth Collins
Departamento: Química Analítica
Palavras-chave: Sílica-titanizada, Poli(metiloctilsiloxano), Fases móveis alcalinas, HPLC
Resumo: Este trabalho investigou o processo de modificação química da superfície da sílica pelo óxido de titânio, seguido da sorção e imobilização do poli(metiloctilsiloxano) para uso como fase estacionária líquida em cromatografia líquida de alta eficiência em fase reversa para aplicações com fase móveis alcalinas. O suporte cromatográfico de sílica titanizada foi obtido através da reação química da sílica porosa (10 mm) com dois reagentes diferentes: tetrabutóxido e tetracloreto de titânio. Após, a deposição da camada de poli(metiloctilsiloxano) por evaporação de solvente e imobilização por radiação gama foi feita a extração do excesso de polímero com diclorometano. O suporte e as fases estacionárias foram então caracterizadas for fluorescência de raios-X, espectroscopia de fotoelétrons excitados por raios-X (XPS), análise termogravimétrica (TGA), análise elementar, espectroscopia de infravermetho, ressonância magnética nuclear de Si e área superficial específica. Nas colunas cromatográficas, as fases estacionárias foram avaliadas com 50% em carregamento inicial de PMOS, 120 kGy de radiação gama para imobilização seguida da extração e utilizadas com 0,3 mL min de vazão da fase móvel metanol:água em composições que separassem eficientemente as amostras padrões utilizadas. Os testes de estabilidade da fase estacionária com até 10.000 vezes o volume da coluna usando MeOH:H2O) nos pH 7, 9, 12 e 13 (ajustados com NaOH 0,01 mol L) mostraram que a radiação gama imobilizou e estabilizou a fase estacionária líquida na sílica titanizada enquanto a extração melhorou a eficiência e permitiu que se obtivessem melhores valores de assimetria para os picos dos compostos analisados com essas colunas cromatográficas. As misturas de amostras básicas foram separadas tanto usando fases móveis neutras como alcalinas, demonstrando assim a perspectiva de aplicação para desse tipo de fase estacionária.
Abstract: This work investigated the process modification of a silica surface by titanium oxide followed by the sorption and immobilization of poly(methyloctylsiloxane) (PMOS) for use as stationary phase in high performance liquid chromatography, with special applications in alkaline mobile phases. The chromatographic support of titanized-silica was obtained by the chemical reaction of 10 mm porous silica with two different reagents: titanium tetrabutoxide or titanium tetrachloride. After the deposition of polymer by evaporation and immobilization using gamma radiation, the excess of liquid stationary phase was extracted with CH2Cl2. The support and the stationary phases were characterized by X-ray fluorescence, X-ray photoelectron spectroscopy, thermogravimetric analysis, elementaI analysis for carbon, infrared spectroscopy, density measurements, Si nuclear magnetic resonance and specific area. The chromatographic columns were optjmized with stationary phases having initial loading of 50 % PMOS followed by gamma radiation for immobilization and extraction with dichloromethane utilized at 0.3 mL min with MeOH:H2O as mobile phase. Tests of stationary phase stability up to 10000 the column volumes using MeOH:NaOH(aq) at the pH 7, 9, 12 and 13 showed that the gamma radiation stabilized the liquid stationary phase onto the chromatographic support. The extraction with dichloromethane after the irradiation led to better values of asymmetry and efficiency . The basic solutes present in the various samples were separated in either neutraI or basic mobile phases, indicating the perspective that a stationary phases based on titanium modified silica may be used for separations where alkaline mobile phases are required.
Arquivo (Texto Completo): vtls000228146.pdf ( tamanho: 4,35MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ