Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO
 
Autora: Michelazzo, Paula Albernaz Machado
Título: Monitoração das Concentrações de Mercúrio Gasoso e Particulado na Atmosfera da Região de Paulínia
Ano: 2003
Orientadora: Profa. Dra. Anne Hélène Fostier
Departamento: Química Analítica
Palavras-chave: Mercúrio, Atmosfera, Monitoração, Atividade antrópica
Resumo: Neste trabalho foram determinadas as concentrações de mercúrio gasoso e particulado na atmosfera da região de Paulínia (SP). Foram avaliadas a influência das emissões antrópicas, assim como a influência da sazonalidade, dos parâmetros meteorológicos e da qualidade do ar sobre estas concentrações. O mercúrio gasoso total (MGT) foi amostrado sobre coluna de quartzo preenchida com areia recoberta de ouro e a quantificação do Hg foi realizada por Espectrometria de Fluorescência Atômica com Vapor Frio (CVAFS). As amostragens de Hg particulado foram realizadas sobre filtros de fibra de quartzo, conforme a metodologia da US.EPA. Após digestão dos filtros com BrCl e redução com SnCl2, o Hg foi quantificado por CVAFS. As concentrações de MGT obtidas apresentaram no período chuvoso (Dez/2002 e Jan/2003) média de 10,8 ng/m³ para o campus da UNICAMP e 5,8 ng/m³ para a cidade de Paulínia e no período de seca (Maio/2003) 4,5 ng/m³ (UNICAMP) e 6,9 ng/m³ (Paulínia). A análise da variação nictemeral (período de 24h) mostrou a ocorrência de maiores concentrações durante o dia. As concentrações médias de mercúrio particulado foram de 337 e 228 pg/m³ no período de chuva e de 593 e 437 pg/m³ no período de seca (UNICAMP e Paulínia, respectivamente). As concentrações de mercúrio encontradas para a região de Paulínia, tanto para o mercúrio gasoso, quanto para o particulado comparam-se com dados encontrados na literatura para regiões que sofrem influência de emissões antrópicas. Temperatura e umidade são os dois parâmetros que parecem ter a maior influência sobre as concentrações de mercúrio na atmosfera.
Abstract: In this work the concentrations of gaseous and particulate mercury in the region of Paulínia (SP) has been investigated. The influence of the anthropogenic emissions as well as the influence of the meteorological parameters at the site was evaluated. The total gaseous mercury (TGM) was collected on a gold-coated glass traps, the analysis of the Hg was carried out by Cold Vapor Atomic Fluorescence (CVAFS). The sampling of particulate Hg was carried through quartz fiber filters, as described in US.EPA (1999). After digestion of the filters with BrCl and reduction with SnCl2, Hg was quantified by CVAFS. The mean concentration of TGM in the wet period (Dec/2002, Jan/2003) was 10.8 ng/m³ for the campus of UNICAMP and 5.8 ng/m³ for the city of Paulínia and in the dry period (May/2003) it was 4.5 ng/m³ (UNICAMP) and 6,9 ng/m³ (Paulínia). The analysis of the diurnal variability (period of 24h) showed the occurrence of higher concentrations during the day. The mean concentrations of particulate mercury was 288 pg/m3 and 337 pg/m³ in the wet season, and of 437 pg/m³ and 593 and pg/m³ in the dry season (UNICAMP and Paulínia, respectively). The concentrations of gaseous and particulate mercury for the region of Paulínia, are comparable with data found in literature for regions that are affected by anthropogenic sources. Temperature and humidity are the two parameters that seem to have the highest influence on concentrations of mercury in the atmosphere.
Arquivo (Texto Completo): vtls000311524.pdf ( tamanho: 1,43 MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ