Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autora: Lopes, Cristina Moniz Araujo
Título: Blendas de Poli(Tereftalato de Etileno) e Polietileno de Baixa Densidade Contendo Alumínio: Um Material Proveniente da Reciclagem de Embalagens
Ano: 2003
Orientadora: Profa. Dra. Maria Isabel Felisberti
Departamento: Físico-Química
Palavras-chave: Blendas poliméricas, Compatibilização, Compósitos, Reciclagem de embalagens
Resumo: Compósitos de polietileno e alumínio (PEAL) podem ser obtidos da reciclagem de embalagens assépticas Tetra Pak pós consumo. Esse compósito é constituído por polietileno de baixa densidade (PEBD), alumínio e um copolímero de polietileno e ácido metacrílico (EMAA). A presença da carga metálica e de um copolímero funcionalizado, que pode atuar como compatibilizante, torna atraente a possibilidade de obtenção de blendas compatibilizadas e reforçadas através da mistura do compósito com outros termoplásticos. Neste trabalho foram preparadas blendas de PEAL com poli(tereftalato de etileno) (PET), também reciclado nas proporções de 30 %, 50 % e 70 % em massa de PET em extrusora de rosca simples e de dupla rosca, e caracterizadas. O método de extrusão influencia a morfologia da blenda, porém as diferenças morfológicas tornam-se menos significativas quando as blendas são moldadas por injeção, e consequentemente as propriedades mecânicas, avaliadas a partir de corpos de prova injetados, não diferem entre si. A análise dinâmico-mecânica mostrou que o processamento afeta a transição vítrea do PET e o módulo na região elástica, em decorrência de diferenças de cristalinidade, da morfologia e de alterações na estrutura do polímero induzidas por cisalhamento. A comparação da morfologia das blendas PET/PEAL, com as blendas PET/PEBD e PET/EMAA preparadas em extrusora de dupla rosca mostrou a excelente adesão na interface das blendas PET/PEAL, comparável à blenda PET/EMAA. Esse resultado é devido à interação entre os grupos polares do PET e do copolímero. Em relação às propriedades mecânicas, comparativamente às blendas PET/PEBD e PET/EMA, o sistema PET/PEAL apresenta aumento no módulo e redução na elongação e na resistência ao impacto devido à presença do alumínio.
Abstract: Composites of polyethylene and aluminium (PEAL) may be obtained from the recycling of post-consumed Tetra Pak aseptic packaging. The components of the composite are low density polyethylene (PEBD), aluminium and an ethylenemethacrylic acid random copolymer (EMAA). The presence of a metallic filler and a functionalized copolymer, which may act as a compatibilizer, suggests that blending PEAL with other thermoplastic would be a way of obtain reinforced and compatibilized blends from recycled materials. Blends of PEAL and recycled poly(ethylene terephthalate) (PET) were prepared in the compositions of 30, 50 and 70 wt. % of PET in a single screw and a twin-screw extruder. The method of preparation influences the morphology of the blends. However, the differences in morphology become less important when the blends are injection moulded. Therefore, there is not too much difference in the mechanical properties since they are evaluated from injection moulded specimens. Dynamic mechanical analysis has shown that processing affects the glass transition of PET and the modulus in the elastic region. This result is related to crystallinity, morphology and shear induced structural changes. Blends of PET/PEBD and PET/EMAA were also prepared. The morphological analysis showed that the PET/PEAL blends present an excellent interfacial adhesion, comparable with the PET/EMAA blend. The improvement of adhesion in comparison with the PET/PEBD blend is a result of the interaction between the polar groups of PET and EMAA. The PET/PEAL blends presented higher modulus than the others blends. However, due to the presence of filler, the elongation at break and impact strength decreased.
Arquivo (Texto Completo): vtls000314783.pdf (tamanho: 6,91MB)

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
2012-2014 BIQ