Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autor: Silva, Gilmar Silvério da
Título: A Dinâmica Biogeoquímica do Mercúrio na Bacia do Rio Negro (AM) e Fluxos na Interface Água/Atmosfera
Ano: 2004
Orientador: Prof. Dr. Wilson de Figueiredo Jardim
Departamento: Química Analítica
Palavras-chave: Mercúrio na bacia do Rio Negro, Amazônia, Mercúrio dissolvido gasoso, Sistema de informação geográfica
Resumo: A investigação da dinâmica biogeoquímica do mercúrio e dos fluxos do mercúrio dissolvido gasoso (MDG) na interface água/atmosfera na bacia do Rio Negro foi realizada a partir de quatro linhas de trabalho: a) as medidas das concentrações de mercúrio total na atmosfera; do mercúrio total, mercúrio reativo e mercúrio dissolvido gasoso em águas superficiais; e do mercúrio total em águas de precipitação atmosférica; b) estimativas diuturnas dos fluxos do mercúrio dissolvido gasoso (MDG) em águas superficiais brancas e pretas; c) experimentos fotoquímicos in situ com águas brancas e pretas e d) integração dos resultados dos itens anteriores com as características das sub-bacias dos tributários do Rio Negro mediante a aplicação do Sistema de Informações Geográficas (SIG) e do Sensoriamento Remoto (SR). Esta abordagem permitiu elaborar um modelo para o comportamento do fluxo do MDG na interface água/atmosfera, bem como fornecer subsídios para a elaboração de um modelo geral para o ciclo biogeoquímico do mercúrio na bacia do Rio Negro. Dos resultados obtidos destaca-se a existência de mecanismos fotoredutores e foto-oxidantes em águas pretas, este último promovido pelo H2O2 e pelo radical OH, oriundo da reação de Fenton, processo este vinculado às características da matéria orgânica dissolvida. Os fluxos do MDG permaneceram próximos a 2,2 pmol m h e a massa total de mercúrio exportada para atmosfera via interface água/atmosfera foi de 0,26 t ano. O valor médio da deposição úmida de mercúrio para 18 sub-bacias dos tributários do Rio Negro foi de 22,9 mg m ano. É importante também ressaltar que o mercúrio está se acumulando no interior da bacia a uma taxa aproximada de 13,4 t ano, sendo que a retenção deste metal está diretamente ligada aos tipos de solos.
Abstract: The biogeochemistry of mercury, including the evaluation of Dissolved Gaseous Mercury (DGM) fluxes at the interface water/air in the Rio Negro basin was carried out assuming four different approaches: (a) measurements of total mercury in the atmosphere and in the total precipitation, as well as total, reactive and dissolved gaseous mercury in the surface waters; (b) diel estimates of DGM fluxes in both black and white waters; (c) in situ photochemical experiments using both types of waters, and (d) integrated approach using analytical results and sub-basin tributaries characteristics were perfomed with Geographic Information System (GIS) and Remote Sensing (RS). This approach allowed to generate a model for the DGM flux at the water/air interface, as well as to subsidize the proposal of a general model of mercury cycling in the Rio Negro basin. From the obtained results, it is important to point out the existence of photoreducting and photooxidizing mechanisms in black waters, being the oxidative mechanisms promoted by OH radical and H2O2 generated by Fenton's reaction due to the high amount of dissolved organic matter. DGM fluxes were around 2.2 pmol m h and the total mercury mass exported at the water/air interface was 0,26 ton y. Average value for the total mercury deposition over the Rio Negro 18 tributaries sub-basins was 22,9 mg m y. It is also important to mention that mercury has been accumulating in the basin at rates of 13,4 ton y, being the metal retention directly associated with the type soil present in the basin.
Arquivo (Texto Completo): vtls000332302.pdf ( tamanho: 2,46MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ