Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autora: Rodrigues, Marili Villa Nova
Título: Pesticidas Organoclorados em Plantas Medicinais e Fitoterápicos
Ano: 2004
Orientadora: Profa. Dra. Susanne Rath
Departamento: Química Analítica
Palavras-chave: Pesticidas organoclorados, Plantas medicinais, SPME, GC-MS
Resumo: A contaminação de plantas por pesticidas, tanto para fins medicinais como alimentares, é muito comum, podendo ser decorrente do próprio cultivo em larga escala, por migração de culturas vizinhas ou provenientes da contaminação ambiental. Embora banidos de muitos países, inclusive o Brasil, devido à sua alta toxicidade e persistência ambiental, os pesticidas organoclorados (OCP) continuam amplamente distribuídos no planeta. Dependendo do processamento destas plantas, os pesticidas quando presentes, podem ter seus níveis aumentados ou reduzidos. Neste trabalho a metodologia proposta para quantificação dos OCP (hexaclorobenzeno, lindano, heptacloro, heptacloro epóxido, aldrin, dieldrin, endrin, 4,4'-DDE e 4,4'-DDT) em folhas de guaco, espinheira santa e erva baleeira foi a cromatografia gasosa com detetor seletivo de massas (GC-MS), empregando para tanto uma coluna capilar HP-5MS operando a 90°C/1 min (12 °C min) 150 °C/ 1 min (2°C min) 230 °C/ 3 min (10 °C min) 275 °C/25 min. Duas técnicas de extração dos OCP das folhas foram avaliadas, a extração assistida por microondas e a extração com solventes. Também foi estabelecida uma metodologia analítica para quantificação dos OCP na infusão destas plantas através do emprego da técnica de SPME-GC-MS utilizando a fibra de PDMS sob imersão direta na solução amostra (90 min a 50 °C), condição esta otimizada através da metodologia de superfície de resposta. Os métodos para quantificação dos OCP em folhas e na infusão foram devidamente validados e aplicados para análise de amostras de diferentes procedências, incluindo as plantas cultivadas numa região com altos níveis de contaminação.
Abstract: The pesticide contamination of plants as medicinal or food uses is very common, and could be due to the own cultivation in large scale, migration of neighboring cultures or the environmental contamination. Although banished of many countries, besides Brazil, due to its high toxicity and environmental persistence, the organochlorine pesticides (OCP) continue thoroughly distributed in the planet. Depending on the processing of these plants, the pesticides when present, can have its levels increased or reduced. In this work the methodology proposed for quantification of OCP (hexachlorobenzene lindane, heptachlor, heptachlor epoxide, aldrin, dieldrin, endrin, 4,4'-DDE and 4,4'-DDT) in leaves of Mikania sp, Maytenus iIicifolia and Cordia curassavica was gas chromatography with mass detector (GC-MS) using HP-5MS capillary column operating to 90 °C/1 min (12°C min) 150 °C/1 min (2 °C min) 230 °C/3 min (10 °C min) 275 °C/25 min. Two extraction techniques for OCP quantification in leaves were evaluated, the microwave assisted extraction combined with solid-phase microextraction (MAE-SPME) and the solvent extraction with solid phase extraction (SPE). The analytical methodology was also established for OCP quantification in the infusion of these plants through the employment of the SPME-GC-MS technique by direct immersion of the PDMS fiber in the sample solution (90 min to 50 °C). This condition was optimized by response surface methodology. The methods for OCP quantification in leaves and in the infusion were validated and applied in samples of different origins including the plants cultivated in an area with high levels of contamination.
Arquivo (Texto Completo): vtls000332400.pdf (tamanho: 6,31MB)

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ