Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
TESE DE DOUTORADO
 
Autor: Lima, Ilauro de Souza
Título: Quitosanas e Quitosanas Química e Morfologicamente Modificadas com Anidrido Succínico-Propriedades, Adsorção e Termoquímica
Ano: 2005
Orientador: Prof. Dr. Claudio Airoldi
Departamento: Química Inorgânica
Palavras-chave: Quitina, Quitosana, Adsorção, Microcalorimetria
Resumo: O método de titulação calorimétrica e as técnicas ressonância magnética nuclear de carbono 13 no estado sólido e difratometria de raios X foram usadas para diferenciar os dois tipos mais comuns de quitosana, as formas a e b. Outras técnicas foram utilizadas para o estudo das propriedades e adsorção de nitrato de cobre, corante azul de metileno e dodecilsulfato de sódio sobre as quitosanas, quitosana modificada com anidrido succínico e morfologicamente modificadas. O estudo destinou-se à busca de um material com alta capacidade de adsorção. A adsorção de cobre mostrou-se excelente com o híbrido acetato de celulose/quitosana b, dando 2,80 0,01 mmol g e muito boas para as esferas a, b, e membrana b, cujos valores de capacidade máxima de adsorção são: 2,16 0,02, 2,04 0,03 e 2,17 0,01 mmol g, respectivamente. Para as quitosanas modificadas com anidrido succínico, utilizou-se o modelo de Giles, que se baseado no contorno das isotermas para fornecer resultados qualitativos. O processo de adsorção permitiu, ainda, relacionar a hidrofobicidade com o grau de desacetilação e propor a matriz Chitsuc-2,6 como material adsorvente para azul de metileno. Os valores de energia livre mostram a espontaneidade de todos os sistemas, enquanto que a variação de entropia é negativa apenas para a esfera e membrana b, mostrando que a associação do tipo de morfologia com a forma b influencia na diminuição do grau de liberdade. A variação de entalpia resultante para as quitosanas a e b em pó, esferas a, b, membrana b e híbrido acetato de celulose/quitosana b, são -39,10 0,01, -33,63 0,02, -26,39 0,04, -14,44 0,01, -14,40 0,03, -2,10 0,13 kJ mol, respectivamente.
Abstract: The calorimetric titration method and carbon 13 nuclear magnetic resonance in the solid state and X ray diffractometry techniques were used to distinguish the two more common chitosans types in a and b forms. Other techniques were also used to study the properties and copper nitrate, methylene blue dye and sodium dodecylsulfate adsorption on chitosans, chemical modified with succinic anhydride and also morphologicallymodified. The aim of the is to search new materials with high adsorption capacity. The copper adsorption showed excellent behavior on cellulose acetate/chitosan b, given 2.80 0.01 mmol g and also very good for a and b spheres, and b membrane, with maximum adsorption capacities: 2.16 0.02, 2.04 0.03 and 2.17 0.01 mmol g, respectively. For succinic anhydride modified chitosans the Giles model was used, based on the isotherm sharp inflection to a plateau, to give qualitative results. The adsortion process enabled to relate the hydrophobicity with the degree of deacetilation and to purpose to Chitsuc-2,6 matrix as an adsorbent material for methylene blue dye. The Gibbs free energy values showed the spontaniety of all systems studied, while the variation in entropy is negative only for b sphere and membrane, indicating that the association of the type of morphology with the b form influences the decreasing of the degree of freedom. The resulting variation of the enthalpy for powdered a and b chitosans, a and b sphere, b membrane and cellulose acetate/chitosan b gave the values -39.10 0.01, -33.63 0.02, -26.39 0.04, -14.44 0.01, -14.40 0.03, -2.10 0.13 kJ mol, respectively.
Arquivo (Texto Completo): vtls000353371.pdf ( tamanho: 2,44 MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
2012-2014 BIQ