Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO
 
Autor: Romero, Adriano Lopes
Título: Contribuição ao Conhecimento Químico do Óleo-Resina de Copaíba: Configuração Absoluta de Terpenos
Ano: 2007
Orientador: Prof. Dr. Paulo Mitsuo Imamura
Departamento: Química Orgânica
Palavras-chave: Óleo-resina de copaíba, Terpenos, Configuração absoluta
Resumo: O óleo-resina de copaíba comercial é um exudado do tronco de diversas espécies do gênero Copaifera (Caesalpinoideae, Leguminosae). Esse óleo é utilizado na medicina popular como cicatrizante, antiinflamatório, no tratamento de bronquites e doenças de pele, assim como na indústria cosméstica como fixador para perfumes e como solvente para tintas e vernizes. Apesar de existir extensa literatura sobre o óleo de copaíba e alguns artigos recentes relatarem o isolamento de novos compostos, muitas das configurações absolutas permanecem indeterminadas. Diante desse fato este trabalho teve como objetivo, isolar os constituintes químicos do óleo de copaíba comercial para caracterização e efetuar a determinação das configurações absolutas dos mesmos. O óleo-resina de copaíba foi submetido a uma extração ácido-base fornecendo duas frações: Fração Neutra (81,7%) e Fração Ácida (18,3%). O estudo da fração neutra permitiu o isolamento de onze sesquiterpenos, sendo dois deles relatados pela primeira vez neste material {(-)-7(11)-selinen-4-ol e (-)-torreyol}; três dinorlabdanos, sendo um inédito como produto natural; e o clerodano 7- acetoxibacchotricuneatina D. A configuração absoluta dos dinorlabdanos foram determinadas pela síntese a partir do ácido (-)-3-hidroxi-copálico e a estereoquímica do C-13 dos álcoois dinorlabdânicos foi estabelecida pela aplicação do método de Mosher modificado. Da fração ácida foram isolados três diterpenos ácidos (copálico, 3-acetoxi-copálico, 3-hidróxicopálico). Além disso, após tratamento de uma amostra da fração ácida com diazometano e purificação por cromatografia em coluna de sílica gel, foram isolados oito diterpenos, sendo um destes inédito (3,19- diidróxi-copalato de metila) e dois terpenos raros (o guamaato de dimetila e o 4-hidroperóxido-18-norcopalato de metila).
Abstract: The commercial copaiba oleoresin is an exuded obtained from the trunk of many species of the Copaifera genus (Caesalpinoideae, Leguminosae). This oil is used in the popular medicine as cicatrizant, anti-inflammatory, in the treatment of bronchitis and for skin diseases, and also in the cosmetic industry as fixative of the perfumes and as solvent for inks and varnishes. Although there are an extensive report concerning the composition of copaíba oil in the literature and some recent papers report the isolation of new compounds, the absolute configuration of many of then remains unknown. Thus, this work had as objective to isolate the compounds of the commercial copaíba oleoresin in order to characterize and determine the absolute configurations. Thus, the copaíba oleoresin was submitted to acid-base extraction supplying two fractions: Neutral Fraction (81.7%) and Acidic Fraction (18.3%). The study of the neutral fraction allowed the isolation of eleven sesquiterpenes, where two of then were not yet reported previously in this material {(-)-7(11)-selinen-4-ol and (-)-torreyol}; one new dinorlabdane and two known dinorlabdane and the diterpene clerodane 7-acetoxibacchotricuneatine D. The absolute configuration of dinorlabdanes was established by synthesis starting from (-)-3-hydroxycopalic acid and the stereochemistry of the C-13 carbon was determined using Mosher’s modified method. From the acid fraction were isolated three diterpenic acids (copalic, 3-acetoxy-copalic, 3-hydroxy-copalic). Besides, after treatment of a sample of acidic fraction with diazomethane and purification through SiO2 gel column chromatography, a new compound (methyl 3,19-dihydroxy-copalate) was isolated along with two rare diterpenes (dimethyl guamaate and methyl 4-hydroperoxy-18- norcopalate) and five known diterpenes.
Arquivo (Texto Completo): vtls000417704.pdf (Tamanho: 3,27 MB)

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
© 2012-2014 BIQ