Comissão
Estatuto
Histórico
Localização
Contato
BIQ
BIBLIOTECA DO INSTITUTO DE QUÍMICA
UNICAMP

 
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO
 
Autor: Cocco, Daniel Rotella
Título: Blendas de Poli(Metacrilato de Metila) e do Elastômero ASA Obtidas por Polimerização in situ
Ano: 2011
Orientadora: Profa. Dra. Maria Isabel Felisberti
Departamento: Físico-Química
Palavras-chave: Blendas, Polimerização in situ, PMMA, ASA
Resumo: Neste trabalho foram preparadas e caracterizadas blendas de poli(metacrilato de metila), PMMA, e poli[acrilonitrila-co-acrilato de butila], ASA. O ASA é um polímero amorfo e constituído de uma mistura de poli(acrilato de butila) (PBA) e poli(estireno-co-acrilonitrila) (SAN). As blendas PMMA-ASA foram obtidas por polimerização in situ, tendo sido estudada a influência do agente de transferência de cadeia, da agitação e da atmosfera inerte sobre as propriedades estruturais e morfológicas das blendas. As blendas foram caracterizadas por cromatografia de permeação em gel (GPC), espectroscopia infravermelho (IV), análise termogravimétrica (TGA), ressonância magnética nuclear de C (RMN de C), análise dinâmico-mecânica (DMA), microscopia eletrônica de varredura (SEM), microscopia eletrônica de transmissão (TEM), e resistência ao impacto e tração. Os resultados mostraram que as blendas são imiscíveis apresentando uma morfologia complexa de domínios elastoméricos dispersos em uma matriz vítrea, dependente das condições de polimerização. Em algumas blendas, uma fração de PMMA encontra-se possivelmente inclusa na fase elastómerica, sugerindo uma morfologia tipo core shell ou tipo salame. Porém, essa morfologia complexa é afetada após o processo de injeção para algumas blendas, devido ao efeito de temperatura e de cisalhamento. Extração seletiva e análise por espectroscopia infravermelho dos componentes das blendas mostraram que ocorre enxertia e/ou reticulação durante a polimerização. A sindiotaticidade do PMMA obtido em presença de ASA aumenta com a quantidade de ASA na blenda, devido às possíveis interações entre os grupos carbonilas do PMMA e os grupos nitrilas e fenilas da fase SAN. As blendas PMMA-ASA apresentam propriedades mecânicas dependentes do teor de ASA e das condições de preparo, sendo a resistência ao impacto das blendas superiores à do PMMA puro.
Abstract: In this work, blends of the poly(methyl methacrylate), PMMA, and the poly[acrylonitrile-co-styrene-co-butyl acrylate], ASA, were prepared. ASA is a complex mixture of poly(styrene-co-acrylonitrile), SAN, and poly(butyl acrylate), PBA. Blends PMMA-ASA were obtained by polymerization in situ, and the influence of a chain transfer agent, stirring and the inert atmosphere on the morphological and structural properties of the blends was studied. The blends were characterized by gel permeation chromatography (GPC), infrared spectroscopy (FTIR), C nuclear magnetic resonance ( C NMR), dynamic mechanical analysis (DMA), scanning electron microscopy (SEM), transmission electron microscopy (TEM), lzod impact resistance test and tensile tests. The results showed that the PMMA-ASA blends are immiscible and present a complex morphology. The morphology of some PMMA-ASA blends is made up of an elastomeric dispersed phase in the glassy matrix, with a possible inclusion of the matrix in the elastomeric domains, suggesting core shell or salami morphology. However, this morphology is affected by the moulding injection process, for some blend compositions, due the temperature and shear effects. The selective extraction of the blends components and the infrared spectroscopy showed that crosslinked and/or grafting reactions occur on ASA chains during MMA polymerization. The syndiotacticity of PMMA obtained in the presence of ASA increases with the amount of ASA, due to the possible interaction among the carbonyl groups of PMMA and the nitrile or phenyl groups of SAN copolymer. The mechanical properties of the blends were influenced by the composition of the blend and conditions of polymerization, and the impact strength of the blends is superior to neat PMMA.
Arquivo (Texto Completo): 000841004.pdf ( tamanho: 4,88MB )

Instituto de Química / Caixa Postal n° 6154
Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
13083 - 970, Campinas, SP, Brasil
e-mail: biq@iqm.unicamp.br
2012-2014 BIQ